São Paulo,
 
   
   
 
 
  Serviços > Unidades Especializadas > Radioterapia > Perguntas e Respostas
 
 

Radioterapia

 
 

1) O que e Radioterapia?

A radioterapia se baseia no empego de radiações ionizantes para tratamento, utilizando diversos tipos de radiações e diferentes energias que podem atingir o local dos tumores ou áreas do corpo onde se alojam enfermidades, com a finalidade de destruir células. A radioterapia pode ser usada para destruição ou reduzir o tamanho de tumores, alívio ou diminuição da dor oncológica, estancar ou evitar hemorragias, além de tratar algumas lesões benignas. Seu efeito ocorre apenas na área onde incide o feixe de radiação. O médico radioterapeuta delimita cuidadosamente a área que deverá ser tratada, clinicamente ou, preferencialmente, com auxilio de exames de imagem, e a ela dirige o feixe de irradiação.

2) Quais são os tipos de Radioterapia?

A aplicação da radioterapia pode ser interna ou externa, chamados respectivamente, de teleterapia e braquiterapia, e cada uma delas ou ambas deverão ser empregadas ao mesmo paciente na dependência da necessidade de cada caso. Na teleterapia a fonte de radiação está distante do paciente e são usados aceleradores lineares ou unidades de Cobalto 60. Já na braquiterapia a fonte de radiação está junto à área que será tratada podendo moldá-la (moldes) ou ser
colocada dentro do tecido que será tratado, isto é, intersticialmente (implantes).

3) Quais as indicações de Radioterapia?

Esta pode ser usada para tratamento de tumores malignos (câncer), alguns tumores benignos (meningeomas, adenomas hipofisários, etc.) e algumas patologias benignas (profilaxia de quelóide e pterígio, processos inflamatórios articulares, malformações arteriovenosas cerebrais, etc.)

4) O que é radioterapia externa?

Na radioterapia externa o feixe de irradiação é originário de uma máquina que está posicionada a certa distância do paciente. Este geralmente é colocado sobre uma mesa apropriada do aparelho. Nesse tipo de radioterapia são utilizados Aceleradores Lineares ou Unidades de Cobalto 60.

5) O que é simulação e planejamento?

Antes de iniciar o tratamento é realizada uma simulação em um aparelho de fluoroscopia ou tomógrafo, onde o radioterapeuta delimita a área a ser tratada e a ser protegida, após a imobilização adequada e a demarcação na pele ou em uma prótese especial feita para o paciente, além da aquisição de imagens para documentação do caso. Após isso, serão realizados cálculos pela equipe de física médica e/ou a definição do número de campos a ser utilizados no tratamento, preferencialmente realizados com o auxílio de um sistema computadorizado de planejamento. A simulação deve demorar alguns minutos, o planejamento minutos, horas ou dias, porém o tratamento requer apenas alguns minutos para sua realização. Em geral são realizados diversos dias de tratamento, com o auxílio de um técnico especializado em Radioterapia, e em todos eles deve-se reproduzir a mesma área definida na simulação. Podem ser necessárias diversas simulações,
chamadas ressimulações, e novos planejamentos ao longo do tratamento.

6) O que é braquiterapia?

Braquiterapia é o tratamento realizado quando se coloca a fonte de irradiação junto à área que será tratada, podendo moldá-la (moldes) ou ser colocada dentro do tecido que será tratado, isto é intersticialmente (implantes).
Para sua realização são utilizados isótopos radioativos, como por exemplo, Irídio, Iodo, Cobalto, Ouro, entre outros.
Quando se utiliza um isótopo com baixa atividade a braquiterapia será realizada de uma forma lenta e é denominada braquiterapia de baixa taxa de dose. Nesse caso, em geral, o paciente deverá ficar internado durante sua realização, com exceção para quando se usa isótopos com baixa energia, e, portanto, com baixo risco de exposição das outras pessoas à radiação. Quando o isótopo tem alta atividade a braquiterapia será realizada de uma forma rápida é denominada braquiterapia de alta taxa de dose. Esta, em geral, é realizada ambulatorialmente. Há, também, a braquiterapia de média taxa de dose. Os cálculos para melhor forma de distribuição das fontes radioativas e o tempo necessário para a realização do tratamento podem ser feitos manualmente, mas são preferencialmente realizadas por softwares especialmente desenvolvidos para a técnica empregada, isto é, são realizadas por computadores.Os procedimentos mais freqüentemente realizados incluem o tratamento de câncer colo uterino, endométrio, próstata, pulmão, de partes moles, mama, boca, esôfago, olho e cérebro.

7) O que é um simulador?

É um aparelho de raio-X diagnóstico, porém com todos os controles e acessórios de localização encontrados no aparelho de tratamento. Desta forma pode-se simular o plano de tratamento antes do paciente iniciar as aplicações no aparelho.
Define-se o numero de entradas de feixes (campos) de tratamento, ângulos de incidência, tamanho dos campos e a proteção dos órgãos sadios adjacentes.

8) O que é um Acelerador Linear de Partículas?

É um equipamento eletroeletrônico que produz feixe de radiação ionizante. Geralmente são radiações X (fótons) e elétrons. Obtêm-se nesses equipamentos energias superiores a das unidades de Cobalto 60. Quando desligados não produzem ou emitem qualquer radiação.

9) O que são blocos de colimação?

São acessórios utilizados nos aparelhos de teleterapia (tratamento com radiação externa) que possibilitam modificar o formato dos campos de irradiação enquanto protege áreas que não se deseja irradiar (cerobend).

10) O que é portal image?

É um sistema de radioscopia fixado ao Acelerador Linear que permite realizar a verificação do campo de irradiação, imediatamente antes do tratamento (checagem on-line do campo de tratamento).

11) O que é Radioterapia Conformacional?

É o tratamento realizado com uso de múltiplos feixes de irradiação, utilizando-se acelerador linear, sistema de planejamento computadorizado e recursos de imagem (tomografia computadorizada e/ou ressonância magnética) no intuito de dar forma aos campos de irradiação (“conformacionar” somente o volume a ser tratado), permitindo menor dose às estruturas vizinhas e possibilidade de ministrarem-se doses superiores às habituais ou menor ou nenhuma incidência de complicações (menor morbidade).

12) O que é Sistema de Planejamento Computadorizado?

É um software que serve para auxiliar na simulação e cálculos de dose de tratamento, utilizando computadores e imagens radiográficas, tomográficas ou de ressonância magnética. Com isto a composição de campos (associação de diversos feixes de radiação) e os cálculos tornam-se mais precisos. Além de se precisar doses adequadas no tumor, permite avaliar as doses em órgãos adjacentes a este, cabendo ao médico radioteapeuta escolher o que é mais adequado ao paciente.

13) O que é braquiterapia com alta taxa de dose?

Nesta modalidade terapêutica utiliza-se um elemento radioativo com alta atividade e que, portanto, libera alta dose em um curto espaço de tempo, permitindo aplicações rápidas. (vide questão 6) No caso dos tumores ginecológicos geralmente o tratamento é fracionado e não requer internação. Todo planejamento é realizado através de sistema de planejamento computadorizado.

14) O que é máscara?

É um acessório utilizado para a imobilização da região de cabeça e pescoço moldando esta área e utilizada apenas no momento do tratamento, para garantir a reprodutibilidade do planejamento efetuado inicialmente, quando foi realizada a simulação. Existem outros acessórios empregados para a imobilização de outras áreas de tratamento como mama, membros e tronco, como por exemplo, o vac lock, onde uma espécie de saco plástico preenchido com microesferas de isopor é usado para moldar área que deve ser imobilizada, sendo o ar retirado e o saco lacrado, fazendo um molde praticamente rígido que permitirá que dia após dia a posição do paciente permaneça inalterada durante a irradiação.

15) Quais são os efeitos colaterais da radioterapia?

Como qualquer tratamento o uso de radioterapia pode apresentar riscos. Altas doses de radiação que podem levar a fechamento de um vaso, destruição de um tumor, também podem atingir células e tecidos normais causando efeitos colaterais. Estes efeitos não são obrigatoriamente apresentados por todas as pessoas que fazem radioterapia, uma vez que dependem da forma como o organismo responde ao tratamento e à técnica empregada. Assim, alguns pacientes podem apresentar efeitos colaterais mais severos enquanto outros podem mesmo não apresentar sintoma algum. Os sintomas são geralmente decorrentes de uma área específica que está sendo irradiada, por exemplo, região da boca, da garganta, do abdome, e assim por diante, porém, alguns sintomas gerais podem se apresentar como sonolência,
fraqueza, náusea e dor de cabeça. Os efeitos colaterais são, em sua maioria, reversíveis e seus sintomas tratáveis. De qualquer forma, o médico deve ser informado sobre os sintomas e seu tempo de duração.

Saiba mais sobre os sintomas durante a Radioterapia!



Convênios Médicos
Corpo Clínico
Berçário Virtual
Digite o nome da
mãe ou do pai para
visualizar a foto e
os dados do bebê.
   
Mensagem ao Paciente
Envie uma mensagem
de apoio e carinho ao
paciente internado.